segunda-feira, 23 de abril de 2018

Porto de Imbituba cresce 12,7% no primeiro trimestre de 2018




O primeiro trimestre do ano terminou em alta e trazendo resultados animadores para a SCPar Porto de Imbituba. A movimentação total de cargas cresceu 12,7% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo as operações de longo curso as que obtiveram o maior desenvolvimento, com um aumento de 16%.


Entre as principais cargas transportadas estão o coque e a soja, porém o grande destaque ficou para os contêineres. Confirmando a perspectiva de dobrar sua movimentação anual, a carga conteinerizada apresentou um crescimento de 132,7% já nos primeiros três meses deste ano, comparado ao total movimentado no mesmo período de 2017. 

A expansão da movimentação de cargas no Porto de Imbituba pode ser atribuída a um conjunto de fatores, dentre eles evidencia-se a linha Ásia (ASIA NGX2), que passou a operar em setembro de 2017, investimentos na infraestrutura de acesso e em equipamentos, e a crescente recuperação econômica do mercado global. Excelentes parâmetros operacionais, como a capacidade de receber grandes navios, devido à profundidade de 15m nos berços de atracação, também contribuem fortemente para o desenvolvimento portuário. 

A expectativa da SCPar Porto de Imbituba é registrar um crescimento total de 6,5% na movimentação do porto em 2018. O diretor-presidente da empresa, Rogério Pupo, destaca que as perspectivas estão se confirmando a partir desse primeiro trimestre. “Estamos em uma franca recuperação, não só de movimentação, como também financeira. Além disso, o ano de 2018 vai ficar marcado por novidades implícitas na área de contêiner, como novas cargas que estão prospectando Imbituba como solução logística”, ressalta Pupo.





Setor de Comunicação Social
SCPAR PORTO DE IMBITUBA S.A.
Administração do Porto de Imbituba
Setor de Comunicação Social
Telefone: (48) 3355.8908


Oficina de ressocialização da Intelbrás
Oficina da Intelbrás no Complexo de São Pedro de Alcântara. Fotos: Denise Lacerda/SJC]

“No ano de 2013 recebi um convite inusitado, ou melhor, fui desafiado: levar minha empresa para funcionar dentro de uma unidade de segurança. Sem deixar que o medo norteasse minha decisão, fui conhecer o ambiente e decidi aceitar o desafio. Hoje acredito que levar profissionalização e renda em substituição ao ócio devastador de uma cela opressora seja a melhor maneira de ressocializar os egressos e diminuir a reincidência”.
O depoimento é do empresário Daniel Rosa, da Thiesen Carretas Náuticas, uma das maiores empresas do ramo náutico do Brasil, e é reforçado pelas palavras do reeducando. “Tive a oportunidade de aprender uma profissão, então quando sair daqui pretendo ensinar a 'gurizada' a trabalhar com a madeira para não cair no crime como a gente caiu”, revela, emocionado, J. L., um dos mais de 400 detentos que trabalham no Complexo Penitenciário do Estado (Cope), em São Pedro de Alcântara.
Os dois testemunhos são um retrato da realidade hoje do Sistema Penitenciário Catarinense, com quase sete mil detentos em chão de fábrica exercendo atividades laborais em todo o estado e mais de 180 convênios com empresas e órgãos públicos.




Oficina da Thiesen Carretas Náuticas
Com um total de 32 empresas classificadas, entre elas a Thiesen Carretas Náuticas, Santa Catarina ficou em primeiro lugar na primeira edição do Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho no Sistema Prisional (Resgata) instituído pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Só o Complexo do Estado classificou nove empresas.
Criciúma
Já a Penitenciária Sul, em Criciúma, classificou a líder nacional em esquadrias e alumínios, a Esaf/Ibrap. “O trabalho prestado pelos reclusos é ótimo e estamos muito satisfeitos com a parceria que resulta em ressocialização por meio do trabalho”, revela o empresário Geraldo Fornaza, sócio-proprietário da empresa. “Tive uma chance e alguém que confiou em meu trabalho. Com o dinheiro que ganho dentro da unidade prisional, ajudo a manter minha família, e quando estava na rua eu não conseguia. Quando sair daqui já tenho um ofício”, declara o detento I. M.
“O selo é um importante reconhecimento às instituições que contribuem com a oferta de trabalho no sistema prisional auxiliando na construção da cidadania e de uma nova identidade à pessoa encarcerada. É um elogiável trabalho social”, lembra o secretário de Estado da Justiça e Cidadania, Leandro Lima.
São Cristovão do Sul
Outro bom exemplo vem da Penitenciária da Região de Curitibanos, em São Cristovão do Sul, que classificou três instituições no Selo Resgata, entre elas a LB Indústria e Comércio de Móveis. “Este convênio tem permitido a empresa desenvolver sua unidade industrial de estofados, além de colaborar com os detentos, fazendo com que aprendam uma atividade profissional”, explica o responsável pela oficina, Volmar Laercio Miolo. O reeducando C.R.C está satisfeito com os resultados da política laboral. “Ajuda na remissão e ainda rende um dinheiro para se manter e ajudar a família”, conta orgulhosamente.
Em 2017, a Penitenciária de Curitibanos celebrou um marco da política de ressocialização com 100% dos detentos trabalhando e 50% estudando enquanto cumprem a pena. São 19 mil metros quadrados de área com pavilhões industriais, construídos pelas próprias empresas, e mais de  800 detentos desenvolvendo atividades laborais em cuidados com a horta, fabricação de móveis, brinquedos, lajotas, tubos, cadeiras, caixas de embalagens para frutas e blocos de concreto.
"Estamos avançando com muita qualidade na consolidação de um programa estadual que leve cada vez mais a uma maior oferta de trabalho e reeducação aos detentos", conclui o secretário da Justiça, Leandro Lima.
O selo Resgata é válido por um ciclo e as instituições - contempladas ou não - poderão se inscrever nas novas edições, cuja previsão é para o primeiro semestre de 2018. Nesta primeira etapa, fizeram parte do processo 127 instituições e 113 atenderam todos os requisitos. 
Relação das empresas com o Selo Resgata 2018:
Artefatos Presidente Ltda - Presídio Regional de Rio do Sul
BBC Têxtil Ltda - Penitenciária Industrial de Chapecó
Cativa Têxtil Ltda – Penitenciária Industrial de Blumenau
Clarice Eletrodomésticos – Penitenciária Agrícola de Chapecó
C-Pack Crative Packaging S/A – COPE
Diplast Indústria e Comércio de Embalagens Ltda – Penitenciária da Região de Curitibanos
Fibratec – Chapecó Indústria e Comércio de Fibras Ltda. – Penitenciária Agrícola de Chapecó.
Haverroth Comércio de Acressórios de Moda Ltda – Presídio Masculino de Florianópolis
Hence Portas e Painéis- Presídio Regional de Criciúma
Ibrap –Indústria Brasileira de Alumínio e Plástico S/A – (Penitenciária Sul; Presídio Regional de Criciúma; Presídio Regional de Tubarão)
Intelbrás S/A Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira -  COPE
Irmãos Fischer S/A Indústria e Comércio – Penitenciária de Itajaí (CPVI) – UPA de Brusque
Joel Machado da Silva Etiquetas      - Presídio Regional de Rio do Sul     
LB Indústria e Comércio de Móveis Ltda – Lojas Berlanda -  Penitenciária da Região de Curitibanos
Lorenzon Administração e Incorporação de Imóveis Ltda- Presídio Regional de Xanxerê
Magnaplast Indústria e Comércio Ltda – Presídio Regional de Caçador
Malinski Madeiras Ltda – Penitenciária da Região de Curitibanos
Metal Clean Etiquetas Ltda – Presídio Regional de Rio do Sul
Montesinos Sistemas de Administração Prisional Ltda – Penitenciária de Joinville; Penitenciária de Itajaí (CPVI; Presídio Masculino de Lages
Município de Içara – Presídio Regional de Criciúma           
Olsen Indústria e Comércio S/A – COPE
Penal Industrial – Penitenciária de Agrícola de Chapecó
Printbag Embalagens Ltda – Penitenciária de Itajaí – Presídio Masculino de Itajaí
Recicla Brasil Ltda – UPA de Canoinhas
Rotaria do Brasil-  COPE
Rovitex Indústria e Comércio de Malhas – Penitenciária de Itajaí
Sandimas – Indústria de Emabalagens Ltda- Penitenciária Agrícola de Chapecó
Sonetto Imóveis Ltda – Penitenciária  Agrícola de Chapecó
Stahelin Flores-  COPE
Thiesen Carretas Naúticas – COPE
Usicast Indústria e Comércio Ltda
Vida Mais Comércio de Refeições e Serviços – COPE – Penitenciária de Florianópolis – Presídio Feminino de Florianópolis – Penitenciária Sul.
Informações adicionais para a imprensa
Denise Lacerda
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania - SJC
E-mail: deniselacerda@sjc.sc.gov.brFone: (48) 3664-5810 / 99152-6934
Site: www.sjc.sc.gov.br

Após 16 anos de confirmação de troca na maternidade, jovens mantêm relação de irmãs: 'De duas famílias, a gente formou uma

 Após 16 anos de confirmação de troca na maternidade, Francielle (à esquerda) e Danielle (à direita) mantêm relação de irmãs (Foto: Francielle Barbosa/Arquivo pessoal)

Encontros frequentes

Duas jovens que foram trocadas na maternidade quando eram recém-nascidas, em Santa Terezinha de Itaipu, região oeste do Paraná, mantêm uma relação de irmãs até hoje, 16 anos após a confirmação da troca.
Em 2002, um exame de DNA revelou que Danielle Evelyn da Silva e Francielle Lesovski Barbosa foram criadas uma pela família da outra. Mesmo depois do resultado, os pais decidiram não destrocar as duas.
"De duas famílias, a gente formou uma só. Quando perguntam, a gente diz que somos gêmeas. Acho que foi a melhor decisão. A gente já tinha sete anos, não tinha como trocar", afirma Francielle.

Encontros frequentes

Francielle conta que os familiares se reúnem todos os fins de semana, mesmo depois que ela e os pais adotivos se mudaram para Foz do Iguaçu. A família adotiva de Danielle continua morando em Santa Terezinha de Itaipu, a cerca de 22 quilômetros.


 As famílias de Francielle e Danielle se reúnem todos os fins de semana (na foto, da esquerda para a direita: o pai José Silva, Francielle, Danielle, a mãe Maria Pereira da SIlva, o irmão biológico de Francielle Douglas com a filha Izabelle no colo) (Foto: Francielle Barbosa/Arquivo pessoal)


Conquistas compartilhadas

As duas jovens compartilham momentos importantes com as duas famílias.
Na formatura de Francielle, que concluiu o curso de enfermagem em dezembro de 2017, os pais adotivos e biológicos foram convidados, assim como os outros filhos dos dois casais. O mesmo aconteceu na festa de formatura de Danielle, formada em administração.
 Francielle se formou no curso de enfermagem, em dezembro de 2017, e reuniu a família biológica e a adotiva (na foto, da esquerda para a direita: mariana, que é irmã biológica de Danielle, a mãe Ana Maria Barbosa, o pai Edinilson Barbosa, Francielle, o pai José Silva, a mãe Maria Silva e Danielle (Foto: Francielle Barbosa/Arquivo pessoal)


Relembre o caso

Os casais Maria Pereira da Silva com José Silva e Edinilson Barbosa com Ana Maria Barbosa tiveram as filhas Danielle e Francielle trocadas em um hospital de Santa Terezinha de Itaipu, em 1995.
Ainda na maternidade, Maria e José notaram que Danielle (filha que criaram) tinha pele e olhos claros, diferentemente do casal.
Eles juntaram dinheiro para pagar um exame de DNA, que comprovou que a menina não era filha do casal. Com o resultado, os dois buscaram localizar a filha biológica, até que encontraram os pais de Francielle.
As duas famílias contam que sempre desconfiaram que algo poderia ter acontecido, entretanto, somente sete anos mais tarde, em 2002, os exames comprovaram que as jovens haviam sido trocadas.
Foi difícil. Na verdade eu não queria aceitar. A gente não acreditava. Eu acreditava que isso só acontecia em novela. Demorei um ano para aceitar o resultado do exame", conta Ana Maria, mãe adotiva de Francielle.

A mãe Ana Maria afirma que o objetivo é unir cada vez mais os familiares das duas. "Quando eu soube da troca, o medo era de perder ela (a filha de criação, Francielle) e, pelo contrário, a gente só ganhou. A união da gente continua sempre, porque é família, e família não separa", disse.

domingo, 22 de abril de 2018

SEM PERDÃO Corinthians é mortal, decide o jogo e impõe goleada na Vila Capanema

O Corinthians foi mortal. Sem desperdiçar as chances de ataque, o clube paulista confirmou seu favoritismo – com o status de atual Campeão Brasileiro – e venceu o duelo por 4x0. Um duro golpe para o Paraná Clube, que tecnicamente não fez um jogo ruim. “Num confronto assim, você não pode perder as oportunidades. Senão, depois, vai ficar lamentando. Foi o caso”, disse o técnico Rogério Micale.

O treinador não escondeu a frustração com o placar elástico. “Fico chateado principalmente pelo que não conseguimos entregar ao nosso torcedor, que fez uma festa lindíssima. Foi sensacional ver a Vila pulsando do início ao fim do jogo. Só peço que o torcedor não desista, pois vamos trabalhar ainda mais para reagir já no domingo, diante do Sport”, afirmou Micale, numa referência aos quase dezessete mil torcedores que lotaram o Durival Britto.

Logo no início, Silvinho arriscou de fora, mas a bola foi pela linha de fundo. Aos 14 minutos, na jogada de Silvinho pela esquerda, ninguém apareceu para escorar o cruzamento. Aproveitando o bom momento, Raphael Alemão, aos 15, deu um chapéu em seu marcador e bateu cruzado, para a defesa de reflexo de Cássio. Só que aos 25 minutos, o Corinthians abriu o placar. No cruzamento de Sidcley, Rodriguinho recebeu livre na área e só escorou: 1x0.

O Paraná não teve tempo nem pra respirar e, no lance seguinte, os paulistas ampliaram. Sidcley arrancou e, na saída de Richard, bateu forte para marcar 2x0. No intervalo, Micale procurou ajustar o time. Teve que trocar Richard, lesionado, por Luís Carlos. No início da fase final, trocou Wesley Dias por Matheus Pereira. No primeiro lance, o meia fez ótima assistência para Alemão, que bateu forte. A bola desviou na marcação e foi pela linha de fundo.

Quando o Paraná esboçava uma pressão, mais uma vez o Corinthians esbanjou precisão. No cruzamento da direita, Cleyson, que acabara de entrar, escorou para fazer o terceiro gol, aos 34 minutos. Aos 40, na jogada pela esquerda, Gabriel, livre na área, tocou no canto para fazer 4x0. O Paraná tentou o seu gol, mas Cássio e a trave pararam o lateral Mansur, por duas vezes. Na próxima rodada, o Tricolor volta a jogar na Vila Capanema, contra o Sport.

Paraná Clube 0x4 Corinthians
Paraná: Richard (Luís Carlos); Alemão, Jesiel, Rayan e Mansur; Wesley Dias (Matheus Pereira), Jhonny Lucas e Caio Henrique; Raphael Alemão (Vitor Feijão), Carlos e Silvinho. Técnico: Rogério Micale.

Corinthians: Cássio; Fagner, Henrique, Balbuena e Sidcley; Gabriel, Renê Júnior e Jadson (Clayson); Romero (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho e Mateus Vital (Pedrinho). Técnico: Fábio Carille.
Local: Durival Britto (Curitiba-PR)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Renda: R$ 632.120,00
Público pagante: 15.714
Público total: 16.772
Gols: Rodriguinho aos 25’ e Sidcley aos 26’ do 1º tempo. Clayson aos 34’ e Gabriel aos 40’ do 2º tempo
Cartões amarelos: Jhonny Lucas (Paraná). Romero (Corinthians)

Departamento de Comunicação - PRC

MAIS UMA DERROTA DE EQUIPE DA BARRA NA COPA NORTE





 Torcida visitante




Projeto da LDO 2019 inclui teto de gastos e emendas impositivas dos deputados

LDO traz, entre vários itens, as obras que o Estado vai desenvolver em 2019, como a recuperação da Ponte Hercílio Luz
FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Começou a tramitar nesta semana na Assembleia Legislativa a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de Santa Catarina para o próximo ano. O Projeto de Lei 97/2018, de autoria do Poder Executivo, já está na Comissão de Finanças e Tributação, único colegiado pelo qual a proposta vai passar antes de ser votada em plenário, o que deve ocorrer somente em julho.
Entre as principais novidades da LDO 2019 estão a inclusão do teto para as despesas primárias correntes e a disponibilização de recursos para as emendas parlamentares impositivas. Ambas as medidas foram aprovadas no ano passado pela Assembleia Legislativa.
A LDO é uma espécie de esboço do que será o orçamento do governo estadual para o ano seguinte. Ela deve ser apresentada pelo Poder Executivo no primeiro semestre e ser aprovado pelos deputados antes do início do recesso de julho.
No projeto, devem constar as ações que o governo pretende desenvolver no ano seguinte, desde as obras previstas até os gastos necessários para a manutenção da administração, como saúde, educação, segurança, etc.. Também estão previstos os percentuais de repasse para o Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Udesc. Todas as ações devem estar constar no Plano Plurianual (PPA) 2016-2019.
A proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA), que é encaminhada no segundo semestre, acrescenta as estimativas de receitas e despesas, bem como o valor que será destinado para cada ação. Conforme a proposta da LDO, no momento, o Estado trabalha com um orçamento total estimado em R$ 28,098 bilhões em 2019.
Principais propostas
Para o próximo ano, as principais novidades da LDO em comparação com os anos anteriores são a previsão de um teto para as despesas primárias correntes e a inclusão das emendas parlamentares obrigatórias.
Conforme o projeto, o teto de gastos foi aprovado no ano passado como parte do acordo para a renegociação das dívidas de Santa Catarina com a União. Para isso, em 2019 e 2020, as despesas do Estado só poderão aumentar conforme a inflação (IPCA) do ano anterior. A medida vale para os três poderes e o Ministério Público, que deverão elaborar seus orçamentos para 2019 com base nesse teto de gastos.
A LDO 2019 também prevê o atendimento às emendas parlamentares impositivas. Para elas, será reservado 1% da receita corrente líquida, deduzidas as receitas vinculadas a órgãos ou programas, os valores correspondentes à participação dos poderes na receita líquida disponível e os recursos da chamada fonte 100 destinados às funções de saúde e educação.
Cada deputado estadual terá direito a 10 emendas, sendo que cada emenda deverá conter apenas um objeto e um beneficiário. Elas destinarão no mínimo 50% dos recursos para a saúde, 25% para a educação e 25 % para outras funções.
O atendimento às emendas deve impactar no duodécimo da Assembleia Legislativa já que, conforme o projeto da LDO, o Legislativo receberá em 2019 4,34% da receita líquida disponível, deduzidos em até 1% da receita líquida disponível que será destinada para as emendas impositivas.
Ainda na LDO 2019, o governo estabeleceu que os repasses constitucionais para a saúde ocorrerão até o 20º dia do mês subsequente ao de sua arrecadação. Já os repasses para o Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Municipais e Filantrópicos, Cepon e Hemosc, ocorrerão até o último dia do mês subsequente.
Cautela
A proposta em tramitação na Assembleia tem 68 páginas. Nela, o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, aponta que, após as recessões de 2015 e 2016, que impactaram negativamente nas finanças do Estado, 2017 registrou melhoria nos indicadores econômicos, o que pode favorecer as receitas tributárias de Santa Catarina no decorrer de 2019, “que deverão manter um crescimento moderado e um pouco acima da inflação do ano.”
“Espera-se que com a retomada do crescimento observada desde os fins de 2017 e com a melhora de diversos indicadores de produção, a economia estadual continue a crescer e impacte positivamente na arrecadação de tributos”, escreve o secretário.
Mesmo com essa perspectiva de melhora, o governo trabalha, conforme Eli, com o controle das despesas, sem a concessão de reajustes salariais ao funcionalismo nem a adoção de quaisquer medidas que impliquem em aumento dos gastos públicos. Tal condição é essencial para o cumprimento do acordo de renegociação das dívidas de Santa Catarina com a União, celebrado em 2016.

Paraná Clube encara o atual campeão brasileiro na Vila Capanema

Vila Capanema volta a receber um jogo do Tricolor na Série A. Foto: Daniel Caron.

O torcedor paranista, enfim, voltará a sentir, de verdade, o gosto da primeira divisão. Depois da estreia com derrota para o São Paulo por 1×0, na última segunda-feira, o Paraná Clube faz seu primeiro jogo em casa nesta Série A do Campeonato Brasileiro nada menos do que contra o Corinthians, atual campeão brasileiro e dono de um dos melhores elencos do futebol brasileiro, neste domingo, às 11h, na Vila Capanema. A casa tricolor, inclusive, estará lotada para que os comandados do técnico Rogério Micale conquistem a primeira vitória na competição nacional.
A diretoria lançou, durante a semana, uma campanha de marketing e que mexeu com o torcedor do Paraná. Filas e mais filas foram registradas nos últimos dias e quase todos os 17 mil ingressos foram vendidos. Prova que a torcida paranista está, de fato, com saudade de ver seu clube jogar a elite do futebol brasileiro depois de dez anos de sofrimento na Série B.
O atacante Carlos, último reforço contratado pelo Paraná e já regularizado, não vê a hora de estrear com a camisa paranista. O jogador já entrou no clima da partida e espera por uma grande festa do torcedor tricolor para o duelo contra o atual campeão brasileiro.
“No ano passado joguei aqui com o Internacional, pela Série B (na Arena da Baixada). Foi uma loucura. A torcida fez uma grande festa. Nos últimos anos não houve uma festa desse jeito. Agora na Série A vai ser embaçado segurar a torcida, vai ser complicado”, apontou o centroavante paranista.
Apesar de toda a empolgação e o clima que envolve a partida contra o Corinthians, o Paraná sabe que precisa melhorar. Diante do time misto do São Paulo, o Tricolor teve algumas dificuldades, especialmente no primeiro tempo. Faltou ofensividade e objetividade nas jogadas mais agudas. Ficou de bom a atuação no segundo tempo diante da equipe paulista.
“Assisti o jogo. O time estava ansioso. Estava há três semanas sem jogar. Então, depois, no segundo tempo, melhorou bastante com algumas trocas. O Paraná está preparado para jogar contra o Corinthians, que é um time bem entrosado. Estamos preparados e vamos nos sair bem”, cravou Carlos.
O atacante Carlos pode ser uma das novidades do Paraná para o duelo contra o Corinthians. No entanto, dificilmente deverá começar entre os titulares. O ataque paranista, porém, deve ter uma mudança, com a entrada do atacante Léo Itaperuna na caga de Diego Gonçalves, que não foi bem diante do São Paulo.
O técnico Rogério Micale volta a contar com o volante Jhonny Lucas, recuperado de lesão. Se for titular, a tendência é de que Wesley Dias deixe a equipe. O restante da equipe deve ser a mesma que perdeu para o São Paulo, na largada do Brasileirão, fora de casa, na última segunda-feira.
“É um momento importante para nós. Temos a chance de enfrentar uma equipe extremamente competitiva dentro da nossa casa e podemos ganhar. Não existe falta de motivação para esse jogo. Nós precisamos ter tranquilidade jogar futebol dentro da nossa casa”, exaltou Rogério Micale.

FICHA TÉCNICA

SÉRIE A
1º Turno – 2ª Rodada
Paraná Clube x Corinthians
Paraná Clube
Richard; Alemão, Jesiel, Rayan e Mansur; Leandro Vilela, Jhonny Lucas (Wesley Dias) e Caio Henrique; Carlos Eduardo, Silvinho e Léo Itaperuna (Carlos).
Técnico: Rogério Micale
Corinthians
Cássio, Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Ralf e Maycon (Rene Jr); Romero, Rodriguinho, Jadson (Mateus Vital) e Clayson.
Técnico: Fabio Carille
Local: Vila Capanema
Horário: 11h
Árbitro: Pericles Bassols Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson Nascimento Leite (PE)

sábado, 21 de abril de 2018

Paraná abriu 26 mil vagas no primeiro trimestre deste ano

O Paraná abriu 26.017 vagas com carteira assinada de janeiro a março de 2018, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho e Emprego.
O saldo mede a diferença entre admitidos e demitidos. Foi o melhor resultado desde 2014, quando a diferença havia sido de 43.543. Segundo o coordenador-geral da Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Elias Thomé, o Paraná está em uma crescente, “e isso concretiza e demonstra que as decisões do nosso governo estão certas, aumentando assim a geração de empregos e abrindo neste primeiro trimestre mais de 26 mil vagas de trabalho com carteira assinada de janeiro a março de 2018".
Somente em março foram geradas 6.514 vagas, o quarto melhor resultado do País, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.
“O Paraná manteve a trajetória de recuperação do mercado de trabalho tanto no mês como no acumulado do ano. Em março, cinco dos oito principais setores econômicos tiveram saldo positivo, com destaque para o de serviços”, disse Alexandre Chaves, economista da Secretaria.
MARÇO - O setor de serviços criou 4.059 vagas somente no mês passado. A indústria de transformação foi o segundo setor com melhores resultados, com 2.671 postos, seguida pelo comércio (168), serviços industriais de utilidade pública (34 ) e construção civil (27). Apenas três setores apresentaram saldos negativos: agropecuária, com 416 postos, extrativa mineral (-16) e administração pública (– 13).
DESTAQUE - No acumulado do ano, a indústria da transformação e os serviços foram os setores que mais se destacaram, com saldo de 9.988 e 15.495 contratações respectivamente.
Outras variações positivas foram da construção civil (1.974), serviços industriais de utilidade pública (210), administração pública (74), agropecuária (182) e extrativa mineral (10). O comércio foi o setor que teve saldo negativo no acumulado do ano, com 1.916 demissões.
Entre as cidades com mais de 30 mil habitantes, Curitiba teve o maior saldo, com 5.588 vagas, seguida por Cascavel (1818) e Maringá (1674).
 AEN